quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

LUCAS, CAPÍTULO 6, VERSÍCULOS 43 a 45.

O Livro de LUCAS faz um relato preciso da vida de Cristo como Homem e Salvador Perfeito. É um dos Livros mais completos da Bíblia, pois aborda o nascimento, o ministério e a ressureição de Jesus.

Nestes Versículos 43 a 45 do Capítulo 6, Jesus nos ensina sobre os frutos que colhemos durante a nossa vida. Aquilo que semearmos, colheremos. Diz assim:

"PORQUE NÃO HÁ BOA ÁRVORE QUE DÊ MAU FRUTO, NEM MÁ ÁRVORE QUE DÊ BOM FRUTO. PORQUE CADA ÁRVORE SE CONHECE PELO SEU PRÓPRIO FRUTO; POIS NÃO SE COLHEM FIGOS DOS ESPINHEIROS, NEM SE VINDIMAM UVAS DOS ABROLHOS. O HOMEM BOM, DO TESOURO DO SEU CORAÇÃO, TIRA O BEM, E O HOMEM MAU, DO MAU TESOURO DO SEU CORAÇÃO, TIRA O MAU, PORQUE DA ABUNDÂNCIA DO SEU CORAÇÃO FALA A BOCA".

Nessa bela passagem bíblica, Deus fala da importância de ter um coração bom, da pureza de sentimentos genuínos. Não adianta demonstrarmos o que não somos verdadeiramente. Usar de dissimulação e falsidade tem prazo certo. Um dia o seu coração acabará revelando o seu verdadeiro eu.  Se agirmos com falsidade e maldade, certamente receberemos maldade e falsidade.

Imagino que certamente você deve estar refletindo mais ou menos assim: Ora, tantas vezes tratei com coração aberto e bondade e fui traído, enganado, passado para trás. Não é assim que acontece? Aí reside uma das mais difíceis missões que Deus nos deu: o Perdão.

Esvaziar o nosso coração da raiva que sentimos daquele que nos prejudicou de alguma forma. Parece que a vontade de vingança fala mais alto que o perdão. Muitos nem pensam nessa possibilidade.

Se o seu coração está cheio de ódio e rancor, peça a Deus em oração que esvazie o seu coração desses sentimentos. Se o pedido for verdadeiro, você descobrirá em breve que pode pensar na situação sem rancor. Quando isso acontece, o nosso coração foi agraciado com o perdão. Quando você perdoa verdadeiramente, Deus te abençoa infinitamente. 

Reparem que o final do versículo se parece muito com um ditado popular que diz: "fala a boca daquilo que o coração está cheio". Quantas vezes dizemos "verdades" na forma de "brincadeiras", dissimulando o verdadeiro sentimento e a intenção que está por trás de nossas palavras? Assim, vamos magoando e brincando, bricando e magoando, brincando de magoar, magoando de verdade.

Quando temos consciência que agimos dessa maneira, podemos dar o primeiro passo para pedir perdão a Deus e, quando a vontade de ofender ao próximo, for irresistível, peça à Deus que te invada com a Sua presença nesses momentos, para que você possa parar antes de prosseguir.

Ofender a um irmão é ofender a Deus. Ser falso com um irmão é ser falso com Deus.

Felicidades e Bençãos de Deus para você hoje e sempre.

Um comentário: